Site de pagamentos pela internet PayPal suspende conta do WikiLea

O PayPal explicou que a medida foi tomada devido ao fato de que a organização tinha violado a "política" do site

EFE |

O popular site de pagamentos pela internet PayPal decidiu cancelar a conta aberta pelo WikiLeaks para arrecadar doações, segundo informou a própria empresa americana.

A notícia foi confirmada neste sábado também pelo WikiLeaks, o site que no domingo passado começou a divulgar mais de 250 mil mensagens diplomáticas dos Estados Unidos e que neste sábado, por meio do Twitter, relatou: "PayPal exclui WikiLeaks após pressão do Governo dos Estados Unidos". Em comunicado, o PayPal, explicou que a medida foi tomada devido ao fato de que a organização do australiano Julian Assange tinha violado a "política" do site.

Um dos requisitos exigidos pelo PayPal é que "não seja utilizado para atividades que encorajem, promovam, facilitem ou instruam pessoas a realizarem atividades ilegais", motivo que foi argumentado para o fechamento da conta do WikiLeaks.

A decisão do PayPal se une às de outros provedores que decidiram deixar de trabalhar com WikiLeaks, como o Amazon, que na quarta-feira parou de disponibilizar seus servidores à empresa de Assange, o que o obrigou a buscar alternativas imediatas para manter as páginas em funcionamento.

    Leia tudo sobre: documentos diplomáticosEUAwikileaks

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG