Sistema eleitoral da Flórida fica à prova diante de participação recorde

Miami, 4 nov (EFE).- O sistema eleitoral da Flórida, protagonista de graves problemas nas eleições de 2000, será colocado hoje novamente à prova em um pleito presidencial marcado pelo recorde de participação.

EFE |

No começo da manhã, a maioria dos colégios eleitorais da Flórida registrava uma alta participação, com grandes filas de eleitores esperando para depositar seu voto.

Por enquanto, não há queixas sobre o funcionamento das máquinas para emitir votos ou o processo de votação, e a jornada eleitoral deverá se desenvolver de forma fluente, graças à alta participação nas votações antecipadas.

Considerado um estado-chave para conseguir a Presidência dos EUA, a Flórida tem registrados 11,2 milhões de eleitores, dos quais cerca de 2,6 milhões (23%) já emitiram seu voto e cerca de 1,5 milhão votaram pelo correio, segundo números oficiais.

Só nos condados de Miami-Dade e Broward, no sul do estado, cerca de 580 mil pessoas (25% dos eleitores registrados) já votaram por antecipação, enquanto os votos por correio chegaram a 40%, segundo funcionários do Departamento de Eleições destes condados.

"Provavelmente, o voto antecipado terá alcançado 38% do total de eleitores registrados no condado de Miami-Dade", disse à Agência Efe um porta-voz do Departamento de Eleições deste condado.

A participação nas votações antecipadas, que começaram em 20 de outubro e terminaram no domingo, superou todas as previsões, por isso espera-se que o número final de eleitores neste pleito chegue a 80% nestes dois condados, um número sem precedentes.

As autoridades eleitorais expressaram hoje sua confiança em que tudo funcione e o processo de votação se desenvolva com absoluta normalidade, de modo que não se repita o fiasco das eleições presidenciais de 2000.

Há oito anos, o sistema eleitoral da Flórida falhou ao contabilizar várias irregularidades em vários condados, o que levou à anulação de milhares de votos e a uma batalha legal que acabou na Corte Suprema dos EUA.

Os votos cancelados foram devido a que, fundamentalmente, milhares de cédulas não foram devidamente perfuradas e, por isso, as máquinas não conseguiram contabilizá-las.

Há quatro anos, o processo de eleição antecipada começou com certas irregularidades e, apesar do uso de um sistema novo, houve atrasos de horas devido a problemas na conexão dos computadores.

Nas votações antecipadas deste pleito, "houve filas e esperas longas", mas nãon foram feitas reclamações sobre o funcionamento do sistema, disse à Agência Efe Merie Bertot, porta-voz do condado Miami-Dade.

Bertot disse que, nestas eleições presidenciais, "saíram mais pessoas do que nunca para votar antecipado".

Em 2004, foram registrados 244 mil votos antecipados neste condado e, no pleito deste ano, foram contabilizados cerca de 100 mil votos a mais, disse Bertot.

O Departamento de Eleições do condado de Miami-Dade explicou que, durante mais de um ano, treinou os funcionários que integram as zonas eleitorais e que as máquinas de votação foram testadas exaustivamente na votação antecipada.

Além disso, foi instalado nos colégios eleitorais um sistema novo de votação que combina o uso de cédulas tradicionais com os últimos avanços de tecnologia digital, através do uso de um scanner óptico.

A Flórida, que conta com 27 votos no colégio eleitoral, é um dos 36 estados que incorporaram o sistema de votação antecipado, a fim de evitar possíveis situações de caos e irregularidades e reduzir a espera no dia da votação.

Os 27 votos no colégio eleitoral são considerados fundamentais para determinar o vencedor nas presidenciais de hoje entre o republicano John McCain e o democrata Barack Obama, como já ocorreu nas duas últimas eleições. EFE emi/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG