Damasco, 10 mai (EFE).- O Governo da Síria rejeitou hoje a internacionalização da crise do Líbano, ao afirmar que a escalada de tensão no país vizinho é um assunto interno, segundo um comunicado da Presidência síria.

"Os pontos de vista da Síria e do Barein coincidem em rejeitar a internacionalização da crise libanesa", afirma a nota, divulgada após o presidente sírio, Bashar al-Assad, receber o ministro de Assuntos Exteriores bareinita, Khaled Bin Ahmed al-Khalifa, em visita a Damasco.

"Os dois países consideram que o que aconteceu e acontece no Líbano são assuntos internos, por isso esperam que os partidos políticos libaneses sejam capazes de abrir um dialogo para alcançar uma solução para a crise", afirma o comunicado.

Khalifa chegou hoje a Damasco, na véspera de uma reunião extraordinária dos ministros de Assuntos Exteriores árabes no Cairo para analisar a situação libanesa.

Tanto responsáveis sírios quanto bareinitas não se pronunciaram sobre a participação do chefe da diplomacia síria, Walid al-Moallem, na reunião do Cairo.

Além disso, o ministro bareinita manifestou em entrevista coletiva sua esperança de que os ministros árabes definam amanhã uma postura comum com relação ao Líbano.

"Os países árabes têm uma iniciativa para tirar o Líbano da crise política que vive. Devemos definir uma posição pan-árabe para que esta crise não seja internacionalizada, porque isso não será útil para esse país", disse o ministro bareinita. EFE gb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.