O embaixador sírio na ONU, Bashar Jaafari, disse nesta sexta-feira que seu país continuará cooperando com a agência de controle nuclear das Nações Unidas e negou novamente as denúncias americanas de que Damasco e Coréia do Norte colaboraram para construir um reator nuclear na Síria.

"A Síria assinou o TNP (Tratado de Não-Proliferação Nuclear) em 1970", lembrou Jaafari à imprensa, acrescentando que seu país continuará cooperando com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

A "Síria nada tem a esconder. Os inspetores da AIEA deveriam ir a Israel (...) O perigo real está no arsenal nuclear israelense", acrescentou Jaafari.

A AIEA informou na quinta-feira que recebeu informação dos Estados Unidos, denunciando que as instalações destruídas por Israel na Síria, em setembro passado, eram de um reator nuclear.

A agência disse, em um comunicado, que "investigará a veracidade da informação".

"A Síria tem a obrigação, por seus acordos de segurança firmados com a AIEA, de reportar projetos e construção de qualquer instalação nuclear", destaca o texto.

Jaafari rebateu as acusações lembrando "que no passado a CIA utilizou muitas mentiras para justificar a interferência nos assuntos domésticos de outros Estados".

O diplomata acrescentou que as acusações da inteligência americana pretendem "justificar o ataque israelense" contra o território sírio e podem estar ligadas a uma luta interna entre a linha dura do governo de George W. Bush e os moderados em relação à questão nuclear da Coréia do Norte.

ga/sd/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.