Síria nega acusação dos EUA sobre instalação nuclear

Por Samia Nakhoul LONDRES (Reuters) - A Síria negou na quinta-feira as acusações feitas pelos EUA de que a Coréia do Norte ajudava o país árabe a construir um reator nuclear capaz de produzir plutônio.

Reuters |

O embaixador sírio na Grã-Bretanha, Sami al-Khiyami, afirmou à Reuters que a acusação, a ser feita pelo governo do presidente norte-americano, George W. Bush, para congressistas, na quinta-feira, visava pressionar ainda mais os norte-coreanos em meio às negociações referentes ao programa nuclear do país asiático.

'Isso não tem relação nenhuma com a Coréia do Norte e a Síria. Eles querem apenas aumentar as pressões sobre a Coréia do Norte. É por isso que estão inventando essa história', afirmou Khiyami.

'A cooperação existente entre a Coréia do Norte e a Síria não tem relação nenhuma com a construção de uma instalação nuclear. A cooperação é principalmente econômica', disse.

'Esse é um ato de manipulação política realizado antes das negociações com a Coréia do Norte a fim de ampliar as pressões sobre os norte-coreanos', afirmou.

Khiyami deu essas declarações antes de uma autoridade norte-americana oferecer, para congressistas dos EUA, o que seriam provas da cooperação entre a Síria e a Coréia do Norte no setor nuclear.

O governo dos EUA pouco comentou a respeito da possibilidade de uma tal cooperação desde que Israel realizou um misterioso ataque aéreo, no dia 6 de setembro, contra o território sírio. Segundo meios de comunicação, o ataque teve por alvo uma instalação nuclear que estava sendo construída com a ajuda dos norte-coreanos.

A apresentação aos congressistas norte-americanos deve incluir imagens tiradas de um videoteipe gravado dentro da instalação síria, disse uma outra autoridade dos EUA.

'Infelizmente, o cenário de tirar fotos repetidamente lembra o que aconteceu antes da guerra no Iraque, quando o governo norte-americano tentava convencer o mundo de que o Iraque possuía armas nucleares', afirmou Khiyami.

'Em vez de exibir essas fotos ridículas, acho que o governo norte-americano deveria voltar seus esforços para limpar o Oriente Médio de todas as armas de destruição em massa, incluindo as que detém seu aliado mais próximo, Israel.'

Acredita-se que Israel tenha fabricado o único arsenal nuclear do Oriente Médio na usina de Dimona, um local interditado à visita de inspetores estrangeiros.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG