Damasco, 31 dez (EFE).- Os Governos da Síria e da Turquia pediram hoje que a comunidade internacional tome decisões para evitar uma escalada da violência na Faixa de Gaza.

A cobrança foi feita em nota oficial emitida após uma reunião em Damasco entre o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e o presidente sírio, Bashar al-Assad.

Do encontro, participaram outros representantes do Governo sírio, entre eles o vice-presidente Farouk Shara, disseram fontes oficiais.

O comunicado da Presidência síria destaca que Assad e Erdogan, em viagem à região para analisar a situação em Gaza, analisaram "medidas para deter o massacre israelense" na faixa territorial, entre elas a mobilização da comunidade internacional para "interromper imediatamente o derramamento de sangue palestino".

Os dois líderes também se mostraram a favor da suspensão do bloqueio que Gaza sofre desde junho de 2007, quando o Hamas expulsou desse território as forças leais ao presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.

Os governantes da Síria e da Turquia "insistiram na necessidade de os países árabes assumirem suas responsabilidades" em relação a Gaza, acrescenta o comunicado oficial.

Erdogan ainda planeja visitar Jordânia, Egito e Arábia Saudita.

Dos quatro países incluídos em seu roteiro de viagem, a Síria é o que mantém posições mais radicais contra Israel, e, além disso, é o que no momento se encontra à frente das cúpulas árabes.

Antes de sair da Turquia, Erdogan disse aos jornalistas que estava viajando com o propósito de trabalhar para pôr fim à "tragédia humana" em Gaza.

Na Jordânia, próxima etapa de sua viagem, Erdogan se reunirá com o presidente da ANP, Mahmoud Abbas.

Apesar de em Damasco viver o principal líder do Hamas, Khaled Meshaal, não há informações de que o primeiro-ministro turco se reuniu com o palestino, disse a rede de TV "Al Jazira". EFE gb/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.