Damasco, 7 jul (EFE).- O presidente da Síria, Bashar al-Assad, e o ministro de Assuntos Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disseram hoje, em Damasco, que o processo de paz no Oriente Médio deve progredir rapidamente, haja vista o clima positivo na região.

Segundo um comunicado presidencial, durante uma reunião com Steinmeier, Assad afirmou que os princípios de seu país para retomar as conversas de paz com Israel "não são condições nem concessões inegociáveis". "O problema é a falta de um companheiro real israelense preparado para a paz", acrescentou.

O chefe da diplomacia alemã, por sua vez, afirmou numa entrevista coletiva com seu colega sírio, Walid al-Moualem, que "é hora de (as conversas) serem novamente relançadas" e de "serem abertas novas perspectivas para o estabelecimento da paz e da estabilidade na região".

Neste ano, disse Steinmeier, todas as oportunidades existentes deveriam ser aproveitadas, antes que as aberturas ao diálogo se fechem de novo.

O ministro alemão afirmou ainda que, durante a conversa com Assad, ambos falaram das circunstâncias, das condições para a paz e do ponto de vista de Israel, onde esteve antes de visitar Damasco.

"Existem interesses muito claros em ambas as partes (israelenses e palestinos). Há o interesse da segurança e o da devolução das terras" ocupadas, declarou Steinmeier.

Segundo o ministro alemão, há novas expectativas, surgidas principalmente após a posse de Barack Obama como presidente dos Estados Unidos, "que desde o começo concentrou seus esforços na promoção do processo de paz".

Além disso, "existem pequenos sinais da disposição (da Síria) em dar continuidade a tudo isto: houve uma melhora nas relações entre a Síria e o Líbano, além do início das conversas entre a Síria e os EUA e da participação da Síria na iniciativa árabe de paz", explicitou.

Já o ministro sírio reiterou que o país não renunciará às Colinas do Golã, território sírio ocupado por Israel em 1967. Disse ainda que a retomada das conversas indiretas "é o caminho mais seguro com vistas às negociações diretas que deveriam conduzir a um resultado, caso haja uma decisão política israelense para o estabelecimento da paz". EFE gb/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.