ABU DHABI - O presidente da Síria, Bashar al-Assad, negou que a instalação bombardeada por Israel em 2007 tivesse atividades nucleares e acusou os Estados Unidos de iniciarem o que chamou de jogo político.

Segundo o diário "Al Jaliy", al-Assad garantiu que seu país é transparente sobre este assunto e lembrou que permitiu a entrada de inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) na Síria.

"Quando os EUA começaram o jogo político, nós também começamos a jogar politicamente. Somos transparentes, não temos nenhuma preocupação", disse.

"É evidente que se tivéssemos alguma atividade nuclear não teríamos permitido a visita dos inspetores", acrescentou.

Em setembro de 2007, Israel bombardeou a suposta instalação militar de Al Kibar, no norte da Síria, onde Washington assegura que Damasco estava construindo um reator nuclear com a ajuda de técnicos norte-coreanos.

O presidente sírio disse que existem "contradições de todo tipo" neste caso e condicionou a cooperação de seu país à transparência das outras partes.

Leia mais sobre proliferação nuclear

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.