Síria diz que fará o possível para reconciliar palestinos

Damasco, 5 jan (EFE).- O presidente sírio, Bashar al-Assad, disse hoje que seu país fará o possível para ajudar na reconciliação entre os grupos palestinos, dias depois de o líder do Hamas, o islâmico Khaled Meshaal, ter assegurado que está próximo de um acordo com os nacionalistas do Fatah.

EFE |

Assad fez estas declarações em uma reunião com o ministro de Assuntos Exteriores saudita, Saud al-Faisal, que chegou hoje a Damasco após visitar o Egito, onde se reuniu com o presidente Hosni Mubarak, segundo um comunicado oficial citado pela "Sana", a agência de notícias estatal síria.

A nota diz que "o presidente Assad reiterou o apoio da Síria a qualquer esforço para uma solução que contribua para a unidade palestina".

Além de ressaltar a urgência da reconciliação entre os grupos palestinos, ambos os representantes políticos analisaram a situação atual e os desafios que o mundo árabe enfrenta.

Outro tema abordado nas conversas foi a importância de o território do Iêmen ter sua integridade, soberania e estabilidade preservadas.

Faisal aproveitou a ocasião para entregar a Assad uma mensagem verbal do rei saudita, Abdullah bin Abdelaziz, sobre "as perspectivas das relações bilaterais entre os dois países irmãos e sobre os últimos eventos no mundo árabe".

Em declarações aos jornalistas após a reunião, Faisal disse que ele e Assad analisaram "vários assuntos, incluindo o processo de paz e os obstáculos impostos por Israel", e que concordaram quanto à necessidade de os palestinos se reconciliarem. EFE gb/sa-sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG