Por François Murphy PARIS (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores da Síria disse na sexta-feira que é prematuro falar de negociações diretas com Israel, um dia depois de o Estado Judeu ter pedido que as discussões cara a cara aconteçam logo.

A terceira rodada de conversas indiretas entre os dois rivais de longa data aconteceu em Istambul nesta semana e terminou com o acordo de fazer uma quarta rodada no meio de julho, na Turquia, disse uma fonte do governo turco à Reuters na quinta-feira.

'É prematuro responder a essa questão', disse o ministro das Relações Exteriores, Walid al-Moualem, quando perguntado se conversas diretas poderiam acontecer. Ele confirmou que ambos os lados concordaram em fazer uma quarta rodada indireta, mas não disse quando nem onde.

'No momento em que sentirmos que há um território comum entre nós e os israelenses, que cubra todos os elementos de um acordo de paz, concordaremos quanto ao local dessas conversas diretas', disse ele em uma sessão de perguntas e respostas no Instituto Francês de Relações Internacionais (IFRI).

A Síria pede a Israel que lhe devolva as Colinas de Golã, tomadas em 1967, e insiste que as negociações de paz só darão certo com mediação norte-americana. Mas isto é improvável sob o presidente George W. Bush, que acha a Síria um aliado 'malvado' do Irã e de grupos hostis aos interesses de seu país.

'As conversas diretas precisam de participação e patrocínio ativos dos Estados Unidos. Para dar garantias, precisamos de uma participação européia ativa, talvez a França. Também precisamos da Rússia e das Nações Unidas para estas conversas', disse Moualem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.