Síria desiste de integrar conselho da AIEA

Viena, 3 out (EFE).- A Síria desistiu hoje de um lugar entre os 35 membros do Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), após uma dura luta diplomática com o Afeganistão e outros países ocidentais.

EFE |

A disputa entre os dois países, membros do grupo regional do Oriente Médio e do Sul da Ásia (Omsa), não chegou finalmente ao extremo de obrigar a Assembléia Geral da AIEA a votar entre os dois candidatos.

Após uma reunião interna deste grupo de países para tentar conseguir um acordo "na última hora", a Síria abandonou suas aspirações.

"A Síria, de forma cortes, decidiu retirar sua candidatura ao Conselho de Governadores para 2008-2010, em respeito à tradição de consenso" e para "facilitar o trabalho da assembléia" assegurou a Presidência indiana do Omsa perante o plenário da AIEA, reunido em Viena desde segunda-feira.

A candidatura afegã, apoiada por Estados Unidos, países da UE e várias nações africanas e asiáticas, venceu assim finalmente a proposta síria, que tinha o respaldo de países árabes e do Irã.

A possibilidade de que a Síria, cujo programa nuclear está sob olhar atento da AIEA, conseguir um lugar no órgão executivo desta agência da ONU foi rejeitada plenamente pelos países ocidentais, especialmente pelos EUA.

Hoje, o diretor-geral da AIEA, Mohamed ElBaradei, voltou a exigir da Síria a "máxima transparência" para que os inspetores possam esclarecer os objetivos de seu programa atômico.

O diretor do programa atômico sírio, Ibrahim Othman, reiterou que seu Governo está cooperando com o organismo, embora tenha sido taxativo ao assegurar que "essa colaboração não será às custas de revelar" as instalações militares iranianas ou provocar "uma ameaça" à segurança nacional. EFE as/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG