Síria descarta negociações diretas com Israel

DAMASCO - O presidente sírio, Bashar al-Assad, não descartou nesta segunda-feira que as negociações de paz indiretas entre o País e Israel se transformem posteriormente em diretas e considerou que não se pode conseguir a paz só através de negociações indiretas. Assad fez as declarações ao responder às perguntas dos jornalistas durante uma entrevista coletiva concedida ao lado do líder croata, Stjepan Mesic, que, no domingo, iniciou uma visita oficial a Damasco. É normal que nos movimentemos durante uma etapa posterior às negociações diretas, afirmou Assad, cujo país mantém conversas de paz com Israel com a mediação da Turquia.

EFE |

Assad comparou o processo com a construção de um edifício, que precisa primeiro do estabelecimento de uma infra-estrutura sólida. "O que fazemos agora nas negociações indiretas é estabelecer uma base para este grande edifício. Se esta base for bem feita, as negociações diretas terão êxito, e então conduzirão à paz", explicou Assad.

As conversas políticas indiretas entre Israel e Síria iniciadas em maio deste ano foram suspensas depois que o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, apresentou em setembro sua renúncia, afetado por várias suspeitas de corrupção.

O presidente sírio não definiu hoje nenhuma data para o reatamento das negociações indiretas com o Estado judeu.

As declarações de Assad ocorreram cinco dias depois que Olmert -que atua como chefe do Executivo interino até que Israel realize eleições gerais, em 10 de fevereiro- afirmou que acredita que "a paz entre Israel e Síria pode ser alcançada".

Leia mais sobre: Síria - Israel - negociações

    Leia tudo sobre: israelsíria

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG