Síria critica ordem de detenção contra presidente do Sudão

Damasco, 17 jul (EFE).- A Síria criticou hoje com firmeza a ordem de detenção apresentada pelo procurador-chefe do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno Ocampo, contra o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, pelos crimes cometidos em Darfur.

EFE |

O ministro de Exteriores sírio, Walid al-Moualem, disse ao embaixador do Sudão que Damasco rejeita as acusações de Ocampo contra "um presidente eleito que goza de imunidade", segundo a agência de notícias oficial síria "Sana".

Moualem afirmou que o requerimento do TPI "não está dentro de suas competências ou de sua jurisdição", e assegurou que é "um ato grave e sem precedentes na história das relações internacionais".

Além disso, manifestou que esta decisão não deveria ser aprovada, "já que trata de desestabilizar o Sudão e de frustrar as tentativas de levar a paz a Darfur".

A agencia "Sana" disse ainda que Moualem conversou por telefone com o presidente da Comissão da União Africana, Jean Ping, para agradecer pela condenação da organização ao pedido de Ocampo.

Durante a conversa, Moualem e Ping discutiram ainda possíveis esforços conjuntos, entre países árabes e africanos, "para apoiar o fraternal povo do Sudão". EFE gb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG