SIP pede a Lula punição para assassinato de jornalista do RJ

Miami, 24 mar (EFE).- A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) pediu hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que o assassinato sob encomenda do jornalista Reinaldo Coutinho da Silva, que era editor de um jornal de Cachoeiras de Macacu (RJ), não fique em impune.

EFE |

Em nota, a SIP destacou que, 13 anos após o crime, a morte do jornalista do "Cachoeiras Jornal" continua impune e que o processo não avança, devido a divergências surgidas dentro do Ministério Público, órgão encarregado das investigações.

Como não há suspeitos detidos, a SIP levou o caso à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Além disso, por meio de anúncios pagos em cerca de 400 jornais da região, a SIP convidou os leitores destas publicações a acessarem um site (www.impunidad.com) e a aderirem à campanha "Acabemos com a impunidade de crimes contra jornalistas".

A iniciativa, que mês a mês é enviada na forma de uma carta às autoridades dos vários países da América, já recebeu o apoio de quase 20 mil pessoas.

Na mensagem enviada às autoridades, a SIP cobra mais zelo nas investigações policiais e judiciais e a aplicação de punições rígidas para os responsáveis pelos crimes. EFE emi/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG