SIP critica lentidão em investigação de assassinato de jornalista na Bahia

Miami, 28 jan (EFE).- A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) criticou hoje a lentidão e os silêncio das autoridades brasileiras em torno das investigações do assassinato do jornalista Nivanildo Barbosa Lima, ocorrido em 1995.

EFE |

Jornalista do jornal "Ponto de Encontro", Lima denunciava grupos de extermínio. Ele foi encontrado morto na represa de Paulo Alfonso, no norte da Bahia, e as primeiras versões divulgadas apontaram para um suicídio.

À época, o caso foi arquivado, mas foi reaberto em 2002 e a investigação ainda não terminou.

Por isso, a SIP reivindicou por meio de um anúncio publicado em mais de 400 jornais do continente o fim da "demora e do silêncio em torno das investigações sobre o crime".

Segundo a SIP, nos últimos 22 anos, 367 jornalistas foram assassinados no continente americano. EFE emi/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG