SIP condena mortes de radialista brasileiro e filha de jornalista em Honduras

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou nesta quinta-feira o assassinato do empresário e radialista brasileiro José Givonaldo Vieira, ao mesmo tempo em que exigiu a abertura imediata de uma investigação em Honduras para apurar a morte brutal da filha de uma jornalista.

AFP |

Vieira, diretor da Rádio Bezerros FM, pertencente ao jornal Folha do Agreste e produtor cultural, foi morto no dia 14 de dezembro em Bezerros, zona rural do estado de Pernambuco.

"Existem suspeitas de que o crime esteja ligado a denúncias feitas em seu programa de rádio", explicou a SIP em um comunicado.

O presidente da entidade, Alejandro Aguirre, subdiretor do Diário Las Américas, de Miami, alertou "sobre a importância de que este crime seja rapidamente esclarecido, para saber os motivos e identificar e punir os autores materiais e intelectuais".

Além disso, a organização exigiu o esclarecimento do assassinato em Honduras da filha da jornalista Karol Cabrera, ligada ao governo de fato presidido por Roberto Micheletti.

Acredita-se que o atentado tenha sido dirigido a Cabrera, que havia denunciado ameaças contra sua família, segundo a SIP.

A adolescente Katherine Nicolle Rodríguez Cabrera, de 16 anos e grávida de oito meses, faleceu após receber vários tiros enquanto dirigia em Tegucigalpa no dia 15 de dezembro. Os médicos ainda conseguiram fazer o parto e salvar o bebê, que está internado em estado crítico.

jco/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG