Por Mohammed Abbas HEATHROW, Inglaterra (Reuters) - Os tripulantes da companhia aérea britânica British Airways ofereceram nesta segunda-feira retomar as negociações com a empresa para tentar resolver uma disputa que pode prejudicar o governista Partido Trabalhista a semanas das eleições.

Os grevistas devem voltar ao trabalho na terça-feira depois de uma parada de três dias que interrompeu os voos partindo do aeroporto de Heathrow, principal aeroporto de Londres.

O assunto é uma dor de cabeça para o Partido Trabalhista do primeiro-ministro Gordon Brown porque envolve o sindicato Unite, que é o maior colaborador financeiro do partido.

O partido conservador, opositor de centro-direita, que lidera as urnas antes do que se espera ser uma eleição muito concorrida, qualificou o governo de "fraco" e disse que depende de seus financiadores do sindicato.

Os sindicatos planejam uma segunda greve de quatro dias a partir do próximo sábado, limitando os voos antes da alta temporada da Páscoa, em uma disputa contra os planos de corte nos custos e nas contratações.

A British Airways disse que o impacto da greve foi limitado e ainda não havia estimativa de quanto o movimento custaria para a companhia.

"Durante o fim de semana mais de 75 por cento dos voos em todo o mundo partiram com pontualidade, e centenas partiram antecipadamente", disse em comunicado.

A disputa surgiu porque a companhia, que tem 12 mil tripulantes, pretende cortar 65,5 milhões de libras anuais (95 milhões de dólares) para compensar a queda na demanda, a instabilidade no preço dos combustíveis e uma maior concorrência das empresas aéreas de baixo custo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.