Sinal localizado é de baliza de emergência, não da caixa-preta do Airbus A310

O secretário de Estado francês para a Cooperação, Alain Joyandet, afirmou nesta quarta-feira que o sinal sonoro localizado por aviões franceses no local do acidente do Airbus A310 da Yemenia corresponde às balizas de emergência; não às das caixas-pretas.

AFP |

"Quero dizer que o Transall (o avião militar francês que rastreia a zona) que recebeu o sinal sonoro não localizou, ao contrário do que se disse pela manhã, as balizas das caixas-pretas e sim as balizas de emergência. Pode haver uma confusão", declarou Alain Joyandet à imprensa em Moroni.

"São centenas de metros de água nesse local, por isso é bastante complicado recuperar a caixa", acrescentou.

A justiça francesa também abriu nesta quarta-feira um processo sobre "homicídio involuntário" após a queda do Airbus A310 da companhia Yemenia no Oceano Índico com 153 pessoas a bordo, entre elas 66 franceses, informaram fontes judiciais.

"O Ministério Público de Bobigny abriu um inquérito por homicício involuntário para conhecer as circunstãncias do acidente" segundo o informe, acrescentando que a instância judicial é competente para estudar o assunto uma vez que a maior parte dos passageiros que embarcaram no aeroporto internacional de Roissy-Charles-de-Gaulle, estão sob sua jurisdicação.

Informações dadas pela manhã afirmavam que uma caixa-preta do Airbus A310 da companhia aérea que caiu na terça-feira no Oceano Índico havia sido localizada e que as operações de recuperação da peça foram iniciadas.

Dos 142 passageiros e 11 tripulantes que estavam a bordo da aeronave, até o momento apenas uma adolescente de 14 anos, identificada como Bakari Baya, foi encontrada com vida.

Os passageiros do avião, muito deles em viagem a Comores para as férias de verão, embarcaram na segunda-feira no Airbus A330-200 da Yemenia, que viajou entre entre Paris, Marselha e Sanaa, capital do Iêmen, antes da troca da aeronave para o prosseguimento do voo até Djibuti e Moroni.

A União das Comores é uma antiga colônia francesa da África independente desde 1975. Uma das ilhas do arquipélago, Mayotte, ainda faz parte dos territórios franceses de ultramar. No avião viajavam 66 franceses.

O Crescente Vermelho anunciou ter esperanças de encontrar outros sobreviventes, mas as operações de resgate podem ser prejudicadas pelo tempo ruim.

Mais cedo, médicos de Comores haviam dito que uma criança de 5 anos havia sido encontrada, "flutuando na água", sem mais detalhes. Ouvido sobre o assunto, um dos médicos, Ada Mansour, explicou que a informação se "baseava em notícias recebidas por barcos que estão no local de busca. Mas eu nada vi".

O governo de Comores espera a ajuda de um helicóptero e um navio franceses.

A Yemenia cancelou um voo para Sanaa que deveria decolar nesta quarta-feira do aeroporto de Marselha sem precisar os motivos.

Na quinta-feira, uma cerimônia ecumênica será celebrada na Mesquita de Paris em memória das vítimas, na presença do presidente Nicolas Sarkozy.

Criticada pela União Europeia (UE) por não respeitar os parâmetros de segurança e pela comunidade comorense por utilizar aviões que são verdadeiras sucatas em voos fora da Europa, a Yemenia informou em um comunicado que realiza "manutenção regular de acordo com as normas internacionais aplicadas pelas grandes companhias aéreas".

bur-/cn/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG