Simpatizantes de Zelaya fazem passeata de apoio à missão da OEA em Honduras

Tegucigalpa, 24 ago (EFE).- Simpatizantes do derrubado presidente de Honduras, Manuel Zelaya, fizeram hoje uma passeata pacífica para apoiar a missão da Organização dos Estados Americanos (OEA) que procura uma saída para a crise política no país.

EFE |

Segundo a imprensa local, as duas mil pessoas presentes à manifestação partiram da Universidade Pedagógica Nacional até as proximidades do hotel onde se encontra a delegação de chanceleres da OEA, que chegou hoje a Tegucigalpa.

A Polícia local mantém uma forte vigilância que impede o acesso ao hotel como parte das medidas de segurança da missão, mas os manifestantes não tentaram atravessar a barreira policial.

Dirigentes da frente de resistência popular que exige o retorno de Zelaya, detido e expulso do país em 28 de junho pelos militares, disseram à imprensa que a passeata apoiava as negociações da OEA para reconduzir o presidente deposto ao poder.

A missão da entidade procura impulsionar a assinatura do Acordo de San José, promovido pelo presidente da Costa Rica, Óscar Arias, que é mediador do conflito hondurenho, cuja proposta contempla o retorno condicionado de Zelaya ao poder, entre outros pontos.

A manifestação se manteve nas cercanias do hotel à espera do fim de um encontro entre os ministros das Relações Exteriores presentes e dirigentes do movimento popular hondurenho, entre outros setores da população que a missão recebeu em seu primeiro dia de trabalho.

Os seguidores de Zelaya carregavam bandeiras de Honduras e do governante Partido Liberal, assim como cartazes com imagens de Che Guevara.

Além disso, gritavam palavras de ordem a favor de Zelaya e contra os militares e o Governo do presidente de fato de Honduras, Roberto Micheletti.

A passeata ocorreu horas antes de uma manifestação também convocada para hoje pela União Cívica Democrática (UCD), de oposição a Zelaya, em frente à Casa Presidencial para rejeitar o retorno do deposto líder e apoiar Micheletti.

A reunião organizada pela UCD terá lugar a menos de 500 metros do local onde os simpatizantes de Zelaya se reuniram. EFE lam-gr/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG