Simpatizantes de Shalit e palestinos pedem libertação de capturados

Gaza, 16 set (EFE).- Centenas de simpatizantes do soldado israelense Gilad Shalit, que foi capturado por milícias palestinas, assim como palestinos residentes na Faixa de Gaza fizeram uma manifestação hoje para pedir a libertação de seus entes queridos em passeatas paralelas.

EFE |

Estas concentrações foram iniciativa de um jornalista israelense e outro palestino, que convocaram as duas partes em conflito a fim de trocar presentes para seus entes queridos retidos, na fronteira da Faixa de Gaza, território controlado pelo movimento islâmico Hamas e bloqueado por Israel.

No entanto, finalmente, a marcha israelense aconteceu em um kibutz próximo à passagem de Nahal Oz, limite ao norte da Faixa de Gaza.

O protesto palestino, que também incluiu chamadas para que Israel coloque fim ao bloqueio a este território, ocorreu na Cidade de Gaza.

O Hamas se negou hoje a entregar qualquer objeto ao soldado israelense Gilad Shalit, retido desde junho de 2006 na Faixa de Gaza.

"A entrega de presentes a Shalit é um luxo e não será aceito de nenhuma maneira", afirmou Salah al-Bardawil, porta-voz do movimento islâmico, em declarações aos meios de comunicação em Gaza.

Bardawil disse que Shalit permanece retido em um lugar secreto, desconhecido inclusive pelos dirigentes do Hamas.

"É evidente que a sugestão de enviar presentes a Shalit tem por objetivo obter informação sobre seu paradeiro e as circunstâncias nas quais se encontra", disse.

Até o momento, a família do soldado israelense não conseguiu enviar nada a seu filho, de quem receberam uma carta escrita pouco após sua captura e que foi divulgada pela imprensa local este mês.

Também há uma gravação de voz do soldado. EFE Sar-db/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG