Sigilo e surpresa marcam visita de Obama ao Afeganistão

Por Jeff Mason CABUL (Reuters) - Qualquer viagem de um presidente norte-americano exige um cuidadoso planejamento, mas levá-lo ao Afeganistão, país imerso em uma guerra de oito anos contra militantes islâmicos, é um caso especial.

Reuters |

Sob o manto da escuridão, o presidente Barack Obama fez no domingo sua primeira visita a Cabul desde que tomou posse, há 15 meses, e finalmente pôs os pés em uma nação que, ao menos na arena diplomática, é capaz de definir a sua Presidência.

Por razões de segurança, a viagem foi cercada de sigilo. Ele chegou à noite e partiu de madrugada.

Na noite de sábado, dirigindo-se à Base Aérea Andrews, onde fica guardado o avião presidencial, jornalistas que acompanharam a viagem eram proibidos de dizer seu destino a quem quer que fosse.

Na chegada à base, assessores e membros da imprensa eram levados de ônibus a um hangar onde o reluzente Air Force One esperava.

Normalmente, o avião é colocado fora do hangar para a chegada do presidente. Mas, naquela noite, ele permanecia coberto, taxiando na escuridão só depois que Obama já estava a bordo. O próprio Obama entrou quase escondido na base.

Na tarde de sexta-feira, ele saiu da Casa Branca dizendo que passaria o fim de semana na residência presidencial de Camp David. Mas na noite de sábado viajou de helicóptero de Camp David para a base aérea, a fim de realizar a viagem secreta.

Desde a posse de Obama, em janeiro de 2009, já se esperava que ele faria uma viagem a Cabul. Funcionários da Casa Branca dizem que questões meteorológicas e logísticas impediram que isso ocorresse antes. Só há uma semana apareceu uma nova oportunidade.

Obama cancelou uma visita a Indonésia e Austrália para que pudesse ficar em Washington no dia em que a Câmara aprovou a reforma da saúde. Isso abriu datas - e também espaço político - para a viagem ao Afeganistão, país onde o contingente norte-americano deve chegar neste ano a 100 mil soldados, graças aos reforços ordenados em 2009 pela Casa Branca.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG