Nova York - O ex-presidente da África do Sul e prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela, que neste sábado completa 91 anos, será homenageado pela ONU com num concerto que reunirá vários nomes da música mundial.

AFP

Nelson Mandela comemora 91º aniversário

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que considera "Mandela a encarnação viva dos mais altos valores das Nações Unidas", acompanhará as comemorações pelo aniversário do líder sul-africano, diz um comunicado das Nações Unidas.

Na nota, além de destacar o compromisso de Mandela com uma "África do Sul democrática e multirracial", Ban ressalta a dedicação do ativista à justiça e à luta contra a aids, além da vontade dele de se reconciliar com aqueles que o perseguiram.

"Ele deixou uma marca em nossas vidas. Junto-me a todos os que, no mundo, desejam a ele um feliz aniversário", escreveu Ban, para quem Mandela "é um cidadão global exemplar".

Durante a homenagem ao político sul-africano, Ban assinará a Carta dos Voluntários, em que seus signatários se comprometerão a prestar 67 minutos de trabalho comunitário em homenagem a Mandela.

O ex-presidente sul-africano, que foi eleito chefe de Estado da África do Sul em 1994, passou 27 anos preso, comandou a luta contra o "apartheid" (regime de segragação racial) e liderou uma transição pacífica na África do Sul rumo a uma democracia estável e multirracial.

Às saudações a Mandela se uniu o presidente da Assembleia Geral da ONU, o nicaraguense Miguel D'Decoto, que na sexta-feira apoio uma proposta para que as Nações Unidas decretem 18 de julho Dia Internacional do Nelson Mandela "Desejo que o dia de Mandela acabe celebrado como uma jornada internacional das Nações Unidas, para que sirva de inspiração à juventude e de convite à unidade contra a pobreza, o racismo, a ignorância e a violência", disse.

O concerto em homenagem aos 91 anos de Mandela reunirá, no Radio City Music Hall, artistas como Stevie Wonder, Alicia Keys, Will.i.am, Gloria Gaynor, Wyclef Jean, Cyndi Lauper, Aretha Franklin, Queen Latifah e a primeira-dama da França, Carla Bruni.

Leia mais sobre Mandela

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.