Shirin Ebadi acusa Reino Unido de ignorar repressão no Irã

Londres, 24 set (EFE).- A iraniana Shirin Ebadi, prêmio Nobel da Paz em 2003, acusou ao Reino Unido de ignorar a repressão da oposição em seu país para preservar as conversas sobre o programa nuclear do regime de Teerã.

EFE |

Em declarações que publica hoje o jornal britânico "The Times", a advogada especializada em direitos humanos diz que seus temores se fizeram realidade quando viu que o Reino Unido teve representação diplomática na posse do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, no mês passado.

"Foi quando senti que se descuidavam os direitos humanos. Lamento dizer que o Ocidente se preocupa mais por sua própria segurança que pelos direitos humanos. Acho que estão equivocados... Os países não democráticos são mais perigosos que uma bomba nuclear", assinala a Nobel da Paz.

Na sua opinião, se deveriam impor sanções contra o Irã pela detenção e morte de opositores políticos após as eleições realizadas em junho passado.

"Como é natural, o Governo iraniano não quer que o mundo saiba o que acontece no Irã, portanto é meu dever informar à maior quantidade de gente possível", destaca Ebadi.

Ela ainda afirma que a advogada pôs a sua família em perigo ao falar com o jornal e diz que seu marido e irmão foram interrogados pelo Ministério de Inteligência. EFE vg/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG