Podgorica, 18 mar (EFE).- O primeiro-ministro deposto tailandês, Thaksin Shinawatra, foragido da Justiça de seu país, está em Montenegro, nos Bálcãs, segundo a imprensa local.

Entretanto, as autoridades de Podgorica garantiram que Shinawatra não dirige os protestos na Tailândia a partir de Montenegro.

Shinawatra está com sua esposa, duas filhas e um filho, além de sua escolta pessoal, em Villa Milocer, um seleto balneário do litoral mediterrâneo que conta com rigorosas medidas de segurança, segundo as mesmas fontes.

Nos últimos dias, o ex-chefe de Governo tailandês e sua família percorreram a costa montenegrina em um iate, foram vistos fazendo compras em um centro comercial em Podgorica e jantando no terraço de um hotel da cidade litorânea de Budva.

A Polícia confirmou que Shinawatra chegou a Montenegro no sábado passado em um avião privado que partiu de Dubai.

Segundo a Polícia, "não haverá medidas" contra ele porque as autoridades tailandesas só pedem informação sobre seus movimentos, mas não exigem sua detenção.

O ministro de Assuntos Exteriores de Montenegro, Milan Rocen, explicou à imprensa que o Governo tailandês se dirigiu a Podgorica, "mas não com o pedido de que investiguemos se está ou não aqui, mas com a advertência de que têm indícios que Shinawatra poderia influir no aumento das tensões na Tailândia a partir de outro país".

"Se alguém, não só Shinawatra, tentar agir contra qualquer país a partir do território montenegrino, as autoridades de Montenegro não permitirão", disse Rocen.

Especula-se que Shinawatra, que recebeu a nacionalidade montenegrina das autoridades locais no ano passado, está interessado em investir no setor turístico de Montenegro.

De acordo com a imprensa, Shinawatra deixará Montenegro amanhã para retornar a Dubai.

Desde sábado passado, milhares de simpatizantes a Shinawatra protestam nas ruas de Bangcoc por eleições antecipadas na Tailândia, que atravessa uma profunda crise política desde a queda do ex-primeiro-ministro, em 2006, após um golpe de Estado. EFE Dp-Sn/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.