Podgórica, 20 mar (EFE).- O ex-primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra, exilado de seu país, parece ter se envolvido diretamente nos protestos antigovernamentais na Tailândia com mensagens aos manifestantes, informa hoje a imprensa de Montenegro.

Segundo as fontes citadas pela imprensa montenegrina, Shinawatra se dirigiu duas vezes nesta semana a seus seguidores na Tailândia por videoconferência, em um hotel de luxo de Montenegro, onde ficou hospedado uma semana com a família entre os dias 13 e 19 de março.

O secretário do Ministério de Exteriores montenegrino, Mirsad Bibovic, declarou hoje que Shinawatra deixou Montenegro ontem. O secretário insistiu que não tem informações sobre a suposta mensagem de Shinawatra a seus partidários na Tailândia.

"Se a informação for correta, o que duvidamos, Shinawatra seria advertido de que não pode abusar de nossa hospitalidade", acrescentou o secretário.

O Governo tailandês assegura ter indícios de que Shinawatra, mesmo no exílio, poderia influir para o aumento das tensões em Bangcoc, mas Montenegro insistiu que jamais permitiria atividades contra qualquer país realizadas em seu território.

A imprensa de Podgórica (capital de Montenegro) suspeita que o primeiro-ministro tailandês, a quem as autoridades montenegrinas concederam nacionalidade no ano passado, está interessado em investir no setor turístico do país balcânico.

Há uma semana, milhares de manifestantes partidários de Shinawatra protestam em Bangcoc para exigir eleições antecipadas.

A Tailândia atravessa uma profunda crise política desde que Shinawatra foi destituído do cargo de primeiro-ministro em 2006 por um golpe de Estado. EFE dp/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.