Shinawatra é proibido pela Justiça de deixar a Tailândia

Bangcoc, 4 jul (EFE).- A Suprema Corte da Tailândia negou o pedido para deixar o país do ex-primeiro-ministro e proprietário do clube de futebol inglês Manchester City, Thaksin Shinawatra, acusado de corrupção e abuso de poder, indicaram hoje fontes judiciais.

EFE |

O pedido para deixar a Tailândia apresentado por Shinawatra foi rejeitado pelos juízes, que levaram em conta a proximidade da audiência do julgamento ao qual está sendo submetido, indicou o secretário-geral do Supremo, Rakkiat Wattanapong.

Shinawatra, deposto em setembro de 2006 em um golpe militar, pretendia viajar à China, ao Japão, e ao Reino Unido, para reuniões relativas ao Manchester City.

Esta é esta a primeira vez que o tribunal nega o pedido do ex-primeiro-ministro de deixar o país.

Em fevereiro, Shinawatra retornou à Tailândia após 18 meses no exílio, a maior parte do tempo no Reino Unido, e foi recebido com festa por milhares de seguidores e membros do atual Governo. EFE fmg/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG