Shevardnadze afirma que russos lamentarão ter reconhecido rebeldes

O ex-presidente georgiano Eduard Shevardnadze afirmou que as autoridades russas lamentarão por toda a vida ter reconhecido a independência das regiões separatistas georgianas, um gesto que segundo ele pode estimular as forças separatistas na própria Rússia.

AFP |

Moscou reconheceu na terça-feira a independência das repúblicas separatistas georgianas da Abkházia e Ossétia do Sul depois do conflito militar com a Geórgia, decisão condenada pelo Ocidente.

"Vão lamentar por toda a vida", disse Shevardnadze em entrevista ao jornal japonês Asahi Shimbun.

"Isto levará a discussões para reconhecer a independência da Chechênia e do Daguestão", afirmou, a respeito das duas repúblicas da Federação da Rússia que desejam se separar de Moscou.

Shevardnadze também defendeu um boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 em Sotchi, cidade russa situada perto do Mar Negro e vizinha da Abkházia.

Shevardnadze foi ministro das Relações Exteriores do presidente soviético Mikhail Gorbatchov de 1985 a 1990. Presidiu a Geórgia de 1995 a 2003 e foi sucedido pelo atual chefe de Estado, Mikhail Saakachvili, em 2003.

Shevardnadze é acusado de ter se aproximado dos Estados Unidos.

Para o ex-presidente, a Geórgia é a grande perdedora do conflito, já que o Exército russo permanece ocupando o porto georgiano de Poti, no Mar Morto.

kdf/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG