Shebab somalis anunciam envio de combatentes para ajudar Al-Qaeda no Iêmen

Insurgentes islamitas somalis, os shebab, anunciaram nesta sexta-feira, em Mogadíscio, que vão enviar seus combatentes ao Iêmen para ajudar os adeptos da Al-Qaeda em sua luta contra as forças governamentais.

AFP |

Sheikh Mukhtar Robow Abu Mansur, um alto dirigente dos shebab, fez este anúncio no norte de Mogadíscio, onde os jovens combatentes treinam para a Guerra Santa contra os inimigos de Alá, segundo suas palavras.

"Nós dissemos a nossos irmãos muçulmanos no Iêmen que vamos atravessar o mar para ajudá-los a combater os inimigos de Alá", declarou.

As autoridades iemenitas afirmam que suas forças mataram mais de 60 militantes islamitas supostamente pertencentes à Al-Qaeda na ofensiva lançada de 17 a 24 de dezembro no centro do país e na região de Sanaa.

Esses confrontos acontecem quando o Iêmen pede a ajuda do Ocidente para lutar contra a presença de centenas de militantes da Al-Qaeda no país, pátria do chefe da rede terrorista, Osama bin Laden.

"É preciso trabalhar em estreita colaboração para combater o terrorismo", declarou terça-feira à noite o ministro iemenita das Relações Exteriores, Abdallah al-Kurbi.

Os Estados Unidos aumentaram sua ajuda militar e econômica ao Iêmen, diante da crescente ameaça da rede terrorista Al-Qaeda e após o atentado frustrado contra um avião comercial.

O nigeriano Umar Faruk Abdulmutallab, de 23 anos, disse ao FBI que foi treinado por uma célula da rede Al-Qaeda no Iêmen para detonar um explosivo no voo que seguia de Amsterdã para Detroit no Natal.

No ano fiscal de 2010, a ajuda dos Estados Unidos ao Iêmen para desenvolvimento e segurança deve chegar aos 63 milhões de dólares, contra 40,3 milhões de dólares em 2009, segundo o porta-voz do departamento de Estado Darby Holladay.

Nesta sexta, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown lançou um chamado para a realização, em 28 de janeiro, uma reunião internacional sobre o Iêmen e a luta contra o terrorismo, paralelamente à já prevista conferência sobre o Afeganistão.

"Gordon Brown convidou os dirigentes internacionais para uma reunião de alto nível para discutir a melhor maneira de lutar contra a radicalização dos militantes no Iêmen", afirma um comunicado de Downing Street.

kah/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG