Seul pede maior cooperação global para Pyongyang não-nuclear

Bruxelas, 13 jul (EFE).- O presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, defendeu hoje um reforço na cooperação internacional para aplicar as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e fazer com que seu vizinho do Norte abandone o programa nuclear.

EFE |

Lee afirmou que o "caminho mais curto" da Coreia do Norte para a prosperidade é o abandono de seu programa de nuclear e condenou esse tipo de testes, junto ao primeiro-ministro sueco e hoje presidente presidente da União Europeia (UE), Fredrik Reinfeldt, com quem se reuniu em Estocolmo.

"Deixar o programa de armas nucleares é o caminho mais curto para a prosperidade e um futuro melhor. Não vai ser fácil, vai ser difícil, será um desafio, mas acho que é possível", afirmou Lee em coletiva de imprensa após o encontro.

Os dois políticos reiteraram a necessidade de uma "situação de segurança" na península coreana que leve "paz e estabilidade" à região.

Lee também lamentou os dois recentes testes nucleares feitos por Pyongyang e destacou a adoção por unanimidade, em 12 de junho, da resolução do Conselho de Segurança da ONU, que reforça as sanções internacionais aos norte-coreanos.

"Agora para nós o essencial é trabalhar para iniciar a resolução", afirmou, "não em nome das sanções, mas para encorajar a Coreia a voltar à mesa de negociações".

Nessas conversas sobre a questão nuclear participam, além das duas Coreias, Estados Unidos, Rússia, Japão e China. EFE rja/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG