Exército sul-coreano realiza exercícios de guerra perto da fronteira com a Coreia do Norte

A Coreia do Sul realizou manobras militares perto da tensa fronteira com a Coreia do Norte e prosseguia nesta segunda-feira com sua cruzada diplomática contra o regime comunista, ao qual acusa de ter afundado em março um barco de guerra sul-coreano .

Milhares de soldados sul-coreanos participaram nesta segunda nos exercícios militares que estavam previstos antes do recente incidente, apoiados por helicópteros de combate.

Esta demonstração de força, na qual foi simulada um ataque norte-coreano, envolveu 50 carros de combate e veículos blindados, ao longo de um rio no cantão de Hwacheon, justo ao sul da fronteira com a Coreia do Norte.

Tanques sul-coreanos cruzam ponte perto da fronteira com Coreia do Norte durante exercícios militares desta segunda-feira
Reuters
Tanques sul-coreanos cruzam ponte perto da fronteira com Coreia do Norte durante exercícios militares desta segunda-feira

Naufrágio de navio

Uma investigação internacional sobre as causas do naufrágio, que provocou a morte de 46 marinheiros, atribuiu em maio passado o ato a um ataque de submarino norte-coreano.

"Ainda há quem repercuta alegações infundadas e alimente as dúvidas sobre as conclusões do informe sobre o (barco afundado) 'Cheonan'. Lamento e isso me entristece", afirmou o ministros das Relações Exteriores, Yu Myung-Hwan.

A Coreia do Sul anunciou uma série de represálias e suspendeu o intercâmbio comerical com o vizinho do Norte.

Além disso, Seul planeja, com o apoio dos Estados Unidos e Japão, solicitar ao Conselho de Segurança da ONU que sancione - ou pelo menos censure - a Coreia do Norte. Pyongyang acusou o Sul de fabricar as provas que a incriminam pelo naufrágio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.