Seul condena enriquecimento de urânio na Coreia do Norte

Seul, 4 set (EFE).- Coreia do Sul qualificou hoje de intolerável o anúncio norte-coreano que está na última fase do processo de enriquecimento de urânio e que extrai plutônio para fabricar armas nucleares, informou a agência sul-coreana Yonhap.

EFE |

Em comunicado, o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores sul-coreano, Moon Tae-young, lamentou "profundamente" essa atitude contra as resoluções do Conselho de Segurança da ONU, adotadas em resposta ao teste nuclear realizado em maio pelo país comunista.

A reação de Seul chega horas depois que a Coreia do Norte anunciasse que começou "a última fase" do processo de enriquecimento de urânio para construir armas nucleares.

Ao mesmo tempo, o regime comunista norte-coreano assinalou que segue em andamento o processo paralelo de extração de plutônio a partir das barras de combustível nuclear que armazena em seu reator de Yongbyon.

O porta-voz sul-coreano indicou que os contínuos atos de "provocação" por parte da Coreia do Norte vão contra a vontade da comunidade internacional de desnuclearizar a Coreia do Norte e de fomentar a paz e estabilidade no nordeste da Ásia.

"Isto nunca é tolerável", acrescentou o porta-voz, quem assegurou que seu Governo "responderá com firmeza e de forma coerente às ameaças e provocações da Coreia do Norte".

O porta-voz da Casa Presidencial sul-coreana acrescentou que seu Governo seguirá cooperando com os países implicados no diálogo para que a Coreia do Norte abandone seu programa nuclear.

Segundo o porta-voz, esse tema será tratado durante a visita do enviado especial dos EUA para Coreia do Norte, Stephen Bosworth, que chega hoje a Seul procedente da China para avaliar a retomada das negociações com Pyongyang sobre seu desarmamento.

Os EUA disseram que estão dispostos a conversar com Pyongyang, mas só no marco das negociações de seis lados onde participam além disso as duas Coreias, Japão, Rússia e China, paralisadas desde dezembro de 2008. EFE ce/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG