burguesia em desfile em Nova York - Mundo - iG" /

Seu Jorge ironiza burguesia em desfile em Nova York

NOVA YORK ¿ O desfile do estilista brasileiro Carlos Miele na Semana da Moda de Nova York, na quarta-feira, contou com a participação ao vivo do cantor Seu Jorge, que ironizou a pequena burguesia. Durante 12 minutos, o músico cantou na passarela o samba Burguesinha, composto por ele, Gabriel Moura e Pretinho da Serrinha, e tentou atrair a atenção das modelos para a letra da música.

BBC Brasil |

Seu Jorge canta na passarela
em Nova York / Getty Images

Enquanto cantava os versos "vai no cabelereiro, no esteticista, malha o dia inteiro, pinta de artista", Seu Jorge tentava interagir com as manequins, olhando para elas e erguendo os braços pedindo atenção. Elas respondiam com olhar fixado no infinito.

Por sua vez, a maior parte da platéia, composta por críticos de moda europeus e americanos que não falam português, se deliciava com a irreverência do cantor e o ritmo do samba.

Escolha ousada

Depois da apresentação, cantor disse que foram os 12 minutos "em que mais sofreu pressão na vida."

"Estou acostumado a cantar duas horas e meia, três horas de show. É diferente para mim. Eu vim até aqui para cantar 12 minutos. Foi a maior pressão de 12 minutos que já tive em toda a minha vida. Mas foi muito bom."

As peças de Miele foram inspiradas no trabalho do paisagista Roberto Burle Marx e no jardim de sua casa em Florianópolis.

"Não há nada mais luxuoso que a natureza", disse o estilista nos bastidores. "A coleção retrata as sombras, as cores e as formas curvilíneas da Mata Atlântica".

Leia mais sobre: Seu Jorge

    Leia tudo sobre: seu jorge

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG