Setor público mexicano para por 5 dias para evitar alastramento de gripe

Julián Rodríguez. México, 30 abr (EFE).- O Governo do México acredita que a paralisação das atividades do setor público no país, de amanhã até terça-feira, vai estabilizar a propagação da gripe suína, que já matou 12 mexicanos e infectou outros 248.

EFE |

"Houve uma boa resposta" às medidas decretadas pelo Governo para frear o contágio, afirmou hoje o ministro da Saúde, José Ángel Córdova, responsável pela estratégia de combate à doença.

Até ontem, as autoridades tinham confirmado a presença do vírus em apenas seis dos 32 estados do país, ou seja, no Distrito Federal, no (estado do) México e em San Luis Potosí, Veracruz, Oaxaca e Colima.

Córdova disse hoje que graças à realização de exames especializados feitos com equipamentos comprados no exterior foi possível confirmar 12 mortes e 248 infecções pela gripe aviária.

"À medida que nossa capacidade de análise aumentar, será possível ampliar o número de casos estudados. Isso significa que, nos próximos dias, o número de casos acumulados irá variar", acrescentou o ministro.

Os mortos pela doença são quatro homens e oito mulheres, com idades que variam de meses de vida a 60 anos. Porém, a maioria tem entre 31 e 40 anos.

De acordo com o Governo, sete das vítimas fatais foram atendidas na capital mexicana, quatro no estado do México e um no estado de Oaxaca.

Córdova disse ainda que as autoridades mexicanas estão habilitando cinco novos laboratórios, além do que há na Cidade do México, "para analisar mostras" já nos próximos dias. "Nosso plano está em andamento e está dando resultados", frisou o ministro.

Ainda segundo ele, o México, como outros países, está cultivando o vírus da gripe suína para a elaboração de uma nova vacina, que talvez comece a ser aplicada em outubro, na campanha nacional de imunização.

"As autoridades se reuniram com os especialistas do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia e da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) para desenvolver uma tecnologia com vistas à fabricação de uma vacina no México", disse.

Córdova também esclareceu que o Governo não pensa em suspender as eleições legislativas que estão marcadas para 5 de julho.

"O adiamento das eleições não foi cogitado, mas vamos fazer algumas recomendações para que, durante as campanhas, que começam em 3 de maio, não sejam realizados comícios nem atividades que concentrem pessoas", disse.

Até segunda-feira, o Governo terá mais informações para dizer se autoriza a retomada das aulas a partir de quarta, quando, inicialmente, o setor público voltará a funcionar, destacou o ministro.

Em virtude do surto de gripe aviária no país, ontem, o Governo decretou a paralisação do setor público até terça-feira, aproveitando um feriado nesse dia e o de amanhã (Dia do Trabalho).

Por conta disso, só estarão em funcionamento os setores financeiros e de saúde, segurança, telecomunicações e distribuição de alimentos.

As autoridades também pediram ao setor privado que aderissem à medida e que a população ficasse em casa.

Em resposta, a Confederação de Câmaras Industriais dos Estados Unidos Mexicanos (Concamin) ofereceu seu "apoio total" às autoridades, mas disse que pedirá ao Governo a "implementação de medidas extraordinárias orientadas a fortalecer o país e a defender a produção e o emprego". EFE jrm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG