BUENOS AIRES (Reuters) - Os produtores agropecuários argentinos, que há meses realizam um protesto contra um imposto às exportações de grãos, continuarão com a paralisação, disse uma fonte do setor na quinta-feira. As quatro entidades rurais que enfrentam o governo da presidente Cristina Fernández de Kirchner se reuniram na quinta-feira para definir o futuro dos protestos, retomados há uma semana e que poderiam afetar as exportações de um dos maiores fornecedores de alimentos do mundo.

'Está definido que continua (a paralisação)', disse à Reuters uma fonte envolvida com as negociações.

(Por Nicolás Misculin)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.