Sete soldados do Governo são mortos em um ataque no sul das Filipinas

Zamboanga (Filipinas), 17 ago (EFE).- Quatro soldados filipinos e três paramilitares morreram hoje em um ataque perpetrado por supostos rebeldes muçulmanos na ilha de Mindanao, ao sul do arquipélago das Filipinas, informaram fontes militares.

EFE |

No ataque, que aconteceu na província de Lanao do Sul, também ficaram feridos quatro soldados do Exército e três soldados das denominadas Forças Armadas Civis, segundo um porta-voz do comando militar provincial.

Lanao do Sul é uma das praças fortes dos rebeldes da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI), a maior organização separatista das Filipinas.

Este ataque segue aos intensos confrontos travados no fim de semana passado entre as tropas governamentais e guerrilheiros do FMLI, depois que eles ocuparam 13 povoados da província vizinha de Cotabato do Norte.

Os combates causaram cerca de meia centena de mortos, entre eles pelo menos quatro soldados, e deslocaram cerca de 165.000 civis.

Na semana passada, a Corte Suprema suspendeu a assinatura de um memorando de entendimento entre o FMLI e o Governo de Manila sobre a ampliação do território muçulmano, e que segundo as duas partes, ia abrir o caminho para conseguir um acordo de paz que colocaria fim a décadas de conflito em uma das regiões mais pobres do país.

Fundado em 1984, o FMLI é a maior organização separatista das Filipinas com mais de 12.000 militantes, muitos dos quais continuam combatendo o Exército apesar do cessar-fogo em teoria vigente desde 2003.

O conflito causou 120.000 mortos e cerca de dois milhões de deslocados em Mindanao. EFE rp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG