Sete peregrinos xiitas são mortos por atiradores em Bagdá

Por Waleed Ibrahim BAGDÁ (Reuters) - Atiradores abriram fogo contra peregrinos xiitas em Bagdá neste domingo e mataram sete deles enquanto milhares de pessoas percorriam o caminho até um santuário na capital iraquiana, informou a polícia local.

Reuters |

Forças iraquianas reforçaram a segurança ao redor do distrito de Kadhamiya, no noroeste de Bagdá, às vésperas de uma grande peregrinação religiosa xiita esta semana, disse um porta-voz do exército.

A polícia disse que os peregrinos que foram mortos estavam a pé. Aparentemente eles vinham de cidades do sul do Iraque, que é majoritariamente xiita.

Peregrinos xiitas têm sido alvo frequente de militantes sunitas da Al Qaeda, que consideram o ramo xiita da religião herético.

Mas recentes eventos religiosos xiitas transcorreram em relativa paz, e a violência no Iraque alcançou seus menores níveis em quatro anos.

Era esperado que a peregrinação anual à área de Kadhamiya, localidade que abriga um santuário reverenciado, atraísse mais peregrinos do que o normal por causa da segurança aprimorada, declarou o general Qassim Moussawi, porta-voz das forças iraquianas.

'Esperamos pelo menos um milhão de pessoas, com certeza uma porcentagem maior do que o ano passado', disse Moussawi em uma conferência de imprensa antes do surgimento de relatos do atentado aos sete peregrinos.

Milhares de peregrinos já chegaram a Bagdá para o evento, que atinge seu ápice na terça-feira. A peregrinação marca a morte de um dos doze imãs do islamismo xiita.

A peregrinação de Kadhamiya de 2005 foi manchada por uma das maiores perdas de vidas em um único incidente desde a invasão liderada pelos EUA em 2003, quando boatos de um ataque a bomba criaram pânico entre os peregrinos que cruzavam uma ponte que leva ao santuário. Cerca de mil pessoas morreram.

A ponte ficou fechada desde então, mas deve ser reaberta em breve após a peregrinação deste ano. Outras pontes e estradas que levam a Kadhamiya foram fechadas para o evento, e um toque de recolher será imposto aos veículos, informou Moussawi.

As forças de segurança destacadas para o evento incluem uma equipe de guardas femininas para revistar mulheres, já que estas realizaram numerosos ataques suicidas em meses recentes, muitas no nordeste da província de Diyala.

A peregrinação de Kadhamiya é um de vários eventos religiosos no calendário xiita, que atraíram milhões desde a queda do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein. O líder sunita restringia a participação nestes eventos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG