Sete crianças estão entre as 14 pessoas que morreram na queda de um monomotor que voava da Califórnia (oeste) para Montana (noroeste) no domingo, informaram as autoridades nesta segunda-feira.

"Sete das 14 vítimas eram crianças", disse à AFP Keith Holloway, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança do Transporte (NTSB, na sigla em inglês).

A identidade e a idade dos menores ainda não foi revelada.

Segundo a mesma fonte, as autoridades federais de aviação informaram que o avião tinha um gravador de voz na cabine e não tinha autorização para realizar transporte comercial.

O monomotor turbohélice havia decolado de Oroville, na Califórnia, a norte de San Francisco, para uma viagem de 1.500 km até Bozeman, em Montana.

Em determinado ponto do trajeto, o avião "sofreu um desvio na direção de Butte (Montana), onde caiu 150 metros antes da pista de pouso" de um aeroporto local", relatou Les Dorr, porta-voz da Administração Federal de Aviação (FAA).

"Achamos que provavelmente era uma viagem de esqui para crianças", estimou outro representante da FAA, Mike Fergus.

As primeiras informações sobre o acidente indicavam 17 vítimas fatais, mas o balanço foi corrigido depois. Segundo Fergus, o acidente aconteceu por volta das duas e meia da manhã, perto do aeroporto Bert Mooney, em Butte, 130 quilômetros a oeste de seu destino original, em Bozeman.

"O avião caiu sobre o cemitério Holy Cross, a 150 metros do aeroporto, ao tentar pousar", afirmou.

De acordo com o jornal californiano Napa Valley Register, cinco membros de uma família da cidade de Santa Helena viajavam no avião: o pai, um médico chamado Erin Jacobson, sua mulher e três filhos, de 4, 3 e 2 anos, que iam a Bozeman para visitar amigos e familiares.

pb/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.