Sete acusados por distúrbios pós-eleitorais são detidos no Irã

Teerã, 2 jul (EFE).- Os serviços secretos iranianos detiveram na localidade de Qazvin sete homens relacionados aos grupos contrários ao regime e com o grupo opositor armado Mujahedin-e Khalq, que o Irã considera terrorista.

EFE |

Segundo a agência de notícias local "Fars", os "sete agentes antirrevolucionários" são acusados de participar dos sangrentos distúrbios vividos pelo Irã após a polêmica reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

"Os detidos estão relacionados aos distúrbios em Teerã e Qazvin, onde encorajaram as pessoas violentas, e provocaram agitação e insegurança", explica a fonte, que cita um responsável dos serviços secretos de Qazvin, que não foi identificado.

Além disso, durante os interrogatórios, "confessaram seus vínculos com grupos antirrevolucionários e com os Mujahedin-e Khalq", acrescentou.

Desde que, em 13 de junho, foi divulgada a polêmica reeleição de Ahmadinejad, o Irã foi palco de protestos e de uma violenta repressão na qual morreram pelo menos 20 pessoas, e 1,032 mil foram detidas, segundo números oficiais.

O aiatolá Ahmad Jannati, um dos clérigos mais conservadores do regime, pediu a pena de morte para aqueles que tiverem causado os distúrbios. EFE msh-jm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG