Servo-bósnios pegam 31 anos por massacre de Srebrenica

SARAJEVO (Reuters) - O tribunal bósnio de crimes de guerra condenou nesta quinta-feira dois ex-policiais de origem sérvia a 31 anos de prisão por colaboração com genocídio e participação na morte de mais de 7.000 muçulmanos em 1995 na cidade de Srebrenica. Radomir Vukovic, 36 anos, e Zoran Tomic, 38, eram membros do 2o Destacamento da Polícia Especial Sekovici, que pretendeu exterminar parcialmente um grupo de muçulmanos e ajudar a remover à força 40 mil civis do enclave oriental, disse o juiz Senadin Bektasevic.

Reuters |

De acordo com os magistrados, a dupla participou da captura e execução de pelo menos mil homens muçulmanos que tentavam fugir de Srebrenica pelos bosques, e que foram detidos em um galpão na vizinha aldeia de Kravice.

As forças servo-bósnias, sob o comando do general Ratko Mladic, mataram cerca de 8.000 homens e meninos muçulmanos em Srebrenica, no leste da Bósnia, depois que essa cidade sob proteção da ONU caiu nas mãos das forças que tentavam impedir a independência da Bósnia.

(Reportagem de Maja Zuvela)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG