Serviços secretos investigam plano da Al-Qaeda para Europa

Segundo agências americanas e europeias, rede terrorista planeja ataques em cidades do Reino Unido, Alemanha e França

iG São Paulo |

Serviços de inteligência ocidentais investigam um plano da rede Al-Qaeda para realizar grandes ataques em cidades britânicas, francesas e alemãs. Acredita-se que extremistas pretendam capturar reféns ocidentais e assassiná-los, como o ataque ocorrido na cidade indiana de Mumbai.

O plano ainda estaria em seus estágios iniciais, mas serviços secretos americanos e europeus consideram esta a mais séria ameaça da Al-Qaeda em anos. Os supostos ataques ocorreriam em cidades do Reino Unido, Alemanha e França.

Inspirada na liderança da organização nas áreas tribais do Paquistão, o plano inclui pequenos grupos de militantes muito bem armados. Agências ocidentais pretendiam manter as investigações em sigilo para coletar mais informações, mas detalhes foram vazados para a imprensa americana.

Na Grã-Bretanha, o nível de ameaça permanece elevado desde janeiro, o que significa que um ataque terrorista é altamente provável. Mas integrantes do governo diz que não há planos de aumentar o nível de alerta e não esperam realizar prisões imediatamente relacionadas com esta ameaça.

França e Alemanha permanecem com um nível de alerta alto. Segundo o porta-voz do Ministério do Interior alemão, Stefan Paris, não há indícios "concretos" de ataques iminentes. "Os indícios atuais não implicam uma mudança na avaliação do risco da situação", afirmou Paris.

O jornal britânico "The Times" afirmou nesta quarta-feira que já tinha informações sobre o plano terrorista, mas decidiu não publicar nenhuma informação para não dificultar os trabalhos dos serviços de segurança ocidentais.

Segundo o jornal americano "The Wall Street Journal", a CIA (agência americana de Inteligência) aumentou seus ataques com mísseis contra alvos talebans no Paquistão para tentar conter esses supostos ataques da Al-Qaeda.

Funcionários americanos disseram ao "The New York Times" que só este mês foram realizados 20 ataques com mísseis Predator, mais que o dobro da média mensal.

A secretária de Segurança Interna dos Estados, Janet Napolitano, advertiu na semana passada de que o Ocidente enfrenta "um aumento da atividade" de grupos terroristas filiados à Al-Qaeda e que poderiam realizar ataques com "armas pequenas".

Com BBC e EFE

    Leia tudo sobre: al-qaedaterrorismoeuaeuropaalemanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG