Serviço secreto britânico quer recrutar professores para espionar

Londres, 12 jun (EFE).- O serviço de contraespionagem britânico MI5 acredita que os professores têm as qualidades necessárias para ser de utilidade aos serviços secretos, conforme se depreende de seu último anúncio de recrutamento, inserido em uma publicação para o setor.

EFE |

O anúncio, publicado hoje no "Times Educational Supplement", diz aos professores que, embora não tenham se "dado conta", a vida lhes deu "as qualidades necessárias" para ser um "oficial de inteligência operacional" na instituição.

"A maioria das pessoas pensa que para conhecer alguém é preciso fazer muitas perguntas. Você sabe que não é assim", afirma o texto, que ressalta que, com sua experiência, os professores são capazes de "ganhar a confiança e construir relações com todo tipo de indivíduos".

Esta habilidade os torna candidatos ideais para "conseguir a informação" necessária para "proteger a segurança nacional".

O salário inicial para ser oficial de inteligência, sem incluir benefícios, é de 35.425 libras anuais (41.514 euros), similar ao que recebe um professor de ensino médio com experiência. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG