Sérvia espera que missão européia proteja sua população no Kosovo

Belgrado, 9 dez (EFE).- O ministro sérvio para o Kosovo, Goran Bogdanovic, declarou hoje que espera que a missão civil européia (Eulex) introduza o Estado de Direito e proteja a população sérvia, que se sentem ameaçada nesse território de maioria albanesa.

EFE |

Bogdanovic disse à imprensa local que a Eulex, que hoje iniciou seu trabalho no Kosovo, há de proteger as propriedades dos sérvios e assegurar sua liberdade de movimentos e o retorno de mais de 200 mil pessoas que abandonaram a ex-província sérvia desde o fim da guerra, em 1999.

Belgrado deu em novembro seu sinal verde à Eulex, após negociar com a ONU um plano que prevê a neutralidade dessa missão sobre o estatuto do Kosovo, que a Sérvia considera uma parte inalienável de seu território.

Um total de mil funcionários de alfândegas, justiça e policiais europeus começaram hoje suas funções no Kosovo.

A Eulex assumirá gradualmente mais responsabilidades da missão interina da ONU (Unmik) que administra o Kosovo desde 1999.

Bogdanovic declarou que os sérvios desta região têm pouca confiança na comunidade internacional "que fez muito pouco para sua segurança, o reforço de sua economia e o retorno" dos refugiados.

O ministro reiterou que a Sérvia não renunciará ao Kosovo, que declarou sua independência de forma unilateral em fevereiro.

Também insistirá em um plano de seis pontos, estipulado com a ONU como condição para o trabalho da Eulex, vitais para que os sérvios permaneçam nesse território e relativos a alfândegas, Justiça, Polícia, comunicações e proteção de patrimônio cultural.

O ministro sérvio afirmou que seu país "não quer tensões nem conflitos", mas conseguir, "antes de tudo, a paz e a segurança para todos os cidadãos do Kosovo, e assim a segurança para toda a zona dos Bálcãs ocidentais".

Por sua parte, o secretário estatal sérvio para o Kosovo, Oliver Ivanovic, indicou que a postura dos sérvios para a Eulex "dependerá de quanto ela se ocupará dos assuntos importantes para a comunidade sérvia, sobre todos os crimes por motivos étnicos e a luta contra o crime organizado".

A população sérvia no Kosovo vê de forma maneira os trabalhos da Eulex.

Os sérvios dos enclaves do interior a consideram de seu interesse porque acreditam que ela se ocupará de seus problemas, enquanto os do norte, contíguo à Sérvia, consideram que ela quer reforçar a independência proclamada pelos albano-kosovares e asseguraram que não cooperarão com essa missão, mas também não se oporão a ela. EFE sn/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG