Sérvia entrega à ONU pedido para levar crise com o Kosovo a Haia

Nações Unidas, 15 ago (EFE) - A Sérvia pediu hoje à Assembléia Geral da ONU que acrescente à agenda do próximo período de sessões uma solicitação à Corte Internacional de Justiça de Haia para que se pronuncie sobre a legalidade da declaração unilateral de independência do Kosovo.

EFE |

O ministro de Exteriores sérvio, Vuk Jeremic, disse que o Governo da Sérvia espera que os 192 membros da Assembléia Geral das Nações Unidas aceitem sua proposta durante a 63ª reunião do órgão, que se inicia em 16 de setembro.

"Há muita confusão na comunidade internacional sobre a legalidade da declaração unilateral de independência do Kosovo, pelo que optamos por esta medida para conseguir um esclarecimento", explicou o ministro sérvio em entrevista coletiva.

Ele destacou que o projeto de resolução apresentado hoje pela Sérvia se limita a solicitar que se pergunte ao tribunal de Haia se a declaração de independência das autoridades de Pristina de 17 de fevereiro se ajusta ao direito internacional.

O responsável da diplomacia sérvia assegurou que Belgrado respeitará a opinião desse tribunal, seja qual for, apesar de não ter um caráter vinculativo.

"O Governo da Sérvia leva muito a sério o cumprimento de suas obrigações internacionais e isso nos dá a autoridade moral para exigir o respeito de nossos direitos", acrescentou.

Para Belgrado, a independência unilateral proclamada por Pristina viola a Carta das Nações Unidas e a resolução 1244 que, em 1999, colocou o Kosovo sob a administração desse organismo.

O Governo sérvio sustenta ainda que não se pode alterar o status político do território balcânico sem a aprovação do Conselho de Segurança da ONU, no qual o poder de veto da Rússia bloqueou todas as propostas em favor da independência.

Jeremic afirmou que a Sérvia não antecipa qualquer oposição a sua proposta entre os 192 membros da Assembléia Geral.

"Não acho que ninguém tente impedir um membro da ONU de formular uma singela pergunta", disse.

O ministro rejeitou estabelecer paralelismos entre o caso do Kosovo e o das regiões separatistas georgianas da Ossétia do Sul e a Abkházia, que gerou um conflito armado entre Rússia e Geórgia.

"A Sérvia se mantém firme em sua decisão de seguir métodos pacíficos e diplomáticos para resolver a crise do Kosovo", disse Jeremic.

Além disso, ressaltou que deseja que os países que ainda não se manifestaram sobre se pretendem reconhecer o Kosovo como um país independente adiem qualquer decisão até escutar a opinião do tribunal de Haia.

Até agora, 45 países, incluídos Estados Unidos e a maioria dos Estados da União Européia (UE), reconheceram a declaração de independência das autoridades kosovares. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG