Zagreb, 15 ago (EFE)- As acusações feitas por Moscou de que Sérvia e Bósnia teriam vendido armas à Geórgia antes do conflito armado, que começou há uma semana na região separatista georgiana da Ossétia do Sul, foram negadas hoje pelos dois últimos países. A empresa sérvia Zastava Oruzje não exportou nenhuma arma para a Geórgia nos últimos 15 anos, disse hoje o diretor da companhia, Rade Gromovic, aos jornais Vecernje Novosti e Danas. Não sei de onde são nossos kalashnikovs na Geórgia. É possível que tenham sido vendidos aos georgianos pela Croácia e pela Bósnia-Herzegovina, cujas forças locais, durante a antiga Iugoslávia, possuíam esse tipo de armas, declarou Gromovic.

Gromovic acrescentou que sua afirmação pode ser comprovada no Ministério da Defesa sérvio, que aprova esse tipo de envio.

O Ministério da Defesa russo assegurou que, durante a intervenção militar de forças georgianas na Ossétia do Sul, foram utilizados kalashnikovs da citada empresa sérvia.

Gromovic desmentiu também uma declaração do ex-ministro de Exteriores sérvio Vuk Draskovic, segundo a qual o Governo sérvio havia proibido a exportação de armas à Geórgia, porém depois teria permitido, em virtude da pressão exercida por trabalhadores grevistas da Zastava Oruzje.

Em Sarajevo, a Presidência da Bósnia rejeitou as afirmações feitas por Moscou de que o país balcânico exportara armas e ajudara militarmente a Geórgia antes da explosão do conflito na Ossétia do Sul.

"A Bósnia-Herzegovina não exportou armas para a Geórgia nem ajudou militarmente o país (...). A Presidência bósnia também não aprovou transferência alguma de armamento excedente ao país", disse o membro da Presidência tripartite bósnia Haris Silajdzic, em Sarajevo.

O ministro da Defesa bósnio, Igor Crnadak, classificou as acusações russas de "desinformações", e disse que não houve atividade alguma nesse sentido.

"Não houve atividade alguma, nem venda, nem doações. Não vendemos nem doamos nada a ninguém, nem à Geórgia. Nossas companhias que se dedicam à produção de armas e equipes militares também não exportaram para a Geórgia", disse.

O Ministério da Defesa russo incluiu a Bósnia em uma lista de países que teriam dado ajuda militar à Geórgia durante o conflito na Ossétia do Sul.

A Geórgia está na lista da ONU como foco bélico potencial e outros países estão proibidos de oferecer aos georgianos ajuda militar. EFE vb/fh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.