BAGDÁ (Reuters) - Explosões de bombas mataram pelo menos 21 pessoas em várias partes do Iraque nesta segunda-feira, disseram autoridades do setor de segurança, dois dias depois de um caminhão-bomba detonado por um suicida no norte do país ter matado ao menos 73 pessoas, no ataque mais mortífero em mais de um ano. As explosões ocorrem enquanto os militares dos Estados Unidos preparam sua retirada de vilas e cidades iraquianas até o fim de junho, fato que faz surgir dúvidas sobre a habilidade das forças de segurança do Iraque para enfrentarem sozinhas uma insurgência persistente.

Uma bomba colocada à beira de uma estrada matou pelo menos três pessoas e feriu 30 em um mercado no norte de Bagdá, e outra deixada em um carro matou cinco pessoas e feriu 20 no centro da cidade, disse a polícia. Uma outra bomba em uma estrada atingiu um microônibus no leste de Bagdá, matando 3 e ferindo 12, informou a polícia.

No oeste da cidade, um atacante suicida se explodiu diante de um edifício da câmara municipal de Abu Ghraib, matando sete pessoas e ferindo 12. Outra bomba matou três soldados numa estrada perto da cidade de Khanaqin, disputada por árabes e curdos, no norte.

A violência havia diminuído amplamente no Iraque no último ano, mas analistas dizem que deve intensificar-se com a aproximação da eleição parlamentar de janeiro.

As tropas norte-americanas devem deixar o país completamente até 2012, como parte de um acordo de segurança assinado entre Iraque e EUA no ano passado.

(Por Abdul Rahman Dhaher)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.