Seria um desastre se Netanyahu não admitisse Estado palestino, diz Clinton

Nações Unidas, 15 jun (EFE).- O ex-presidente americano Bill Clinton considerou hoje que seria um desastre se o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, não admitisse a existência de dois Estados para solucionar o problema entre israelenses e palestinos.

EFE |

"Não há uma solução alternativa razoável", opinou Clinton hoje durante uma entrevista coletiva sobre o Haiti na sede das Nações Unidas junto ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

O ex-presidente americano - que ressaltou que "falava por si próprio" e não transmitia a opinião do Departamento de Estado dos Estados Unidos, chefiado por sua esposa, Hillary Clinton - assegurou também que "a iniciativa do presidente (americano, Barack) Obama (sobre o Oriente Médio) vai pelo caminho adequado".

Neste domingo, Netanyahu falou pela primeira vez sobre a criação de um Estado palestino, embora as condições exigidas pelo primeiro-ministro à Autoridade Nacional Palestina (ANP) para alcançar este objetivo já tenham sido qualificadas de "sabotagem" pelas autoridades palestinas.

"Falta muito para estar onde se deveria" no processo de paz, declarou Clinton.

Por outro lado, o ex-chefe de Estado lembrou que "a boa notícia é que esta iniciativa de paz tem o apoio de todo o mundo árabe".

"Segundo minha experiência, Netanyahu fez o que tinha que fazer para seguir adiante e não acabar com a iniciativa dos EUA", assegurou Clinton.

O ex-presidente americano também considerou que, embora essa proposta "seja agora completamente inaceitável para os palestinos, é a primeira resposta à proposta do presidente Obama, e este é um drama de muitos atos". EFE emm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG