Sequestros por piratas batem recorde em 2010, diz relatório

Serviço Marítimo Internacional diz que 53 navios e 1.181 navegantes foram capturados no ano passado

BBC Brasil |

selo

O número de pessoas sequestradas por piratas em embarcações no ano passado foi o maior já registrado, segundo relatório divulgado nesta terça-feira pelo Serviço Marítimo Internacional (IMB, na sigla em inglês).

De acordo com a organização, 1.181 navegantes foram capturados no ano passado, e oito foram mortos. No total, 53 navios foram sequestrados. Segundo o IMB, ligado à Câmara Internacional de Comércio (ICC), houve 445 ataques a embarcações em 2010, um aumento de 10% em relação ao ano anterior.

O número de reféns de piratas vem subindo nos últimos anos - de 188 em 2006 para 1.050 em 2009 e 1.181 no ano passado. Segundo o IMB, os sequestros promovidos por piratas na costa da Somália foram 92% do total no ano passado, com 49 embarcações e 1.016 navegantes capturados. Até 31 de dezembro, 28 embarcações e 638 pessoas permaneciam reféns de piratas na Somália.

Brasil

No Brasil, houve nove ataques a embarcações no ano passado - em dois deles os ocupantes foram feitos reféns. Em 2009, cinco embarcações haviam sido atacadas no Brasil, e no ano anterior, apenas uma.

Os ataques no Brasil no ano passado ocorreram em embarcações ancoradas no Pará - sete em Vila do Conde e dois em Mosqueiro.

O píer de Vila do Conde foi o quarto local individual com o maior número de ataques a embarcações ancoradas no ano passado. O que registrou o maior número de ataques (22) foi o porto de Chittagong, em Bangladesh.

O relatório do IMB adverte para o aumento no número de ataques em Vila do Conde e sugere também vigilância às embarcações no porto de Santos, apesar de não terem sido registrados incidentes na cidade paulista em 2010.

    Leia tudo sobre: piratassomália

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG