Sequestrados da Cruz Vermelha nas Filipinas estão vivos

Genebra, 17 jan (EFE).- Os três voluntários do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) sequestrados esta semana nas Filipinas conseguiram ligar para a organização e informar que estão com vida e ilesos.

EFE |

"Não temos nenhuma informação disponível sobre seu paradeiro ou nas mãos de quem estão", disse a entidade humanitária em comunicado divulgado em Genebra, onde fica sua sede mundial.

"Claro que estamos aliviados de ouvir suas vozes e saber que estão vivos", disse o responsável da delegação do CICV em Manila, Jean-Daniel Tauxe, citado no comunicado.

A CICV disse que não podia fazer mais comentários sobre o assunto, já que a prioridade "é garantir que nada ameace sua segurança".

O suíço Andreas Notter, de 39 anos e diretor da representação da Cruz Vermelha na cidade de Zamboanga, o italiano Eugenio Vagni, de 62, e a filipina Jean Lacaba, de 37, foram sequestrados na quinta-feira passada na ilha de Jolo, cerca de 980 quilômetros ao sul de Manila.

O CICV assegurou que este incidente não afetou suas operações na região de Mindanao, onde há cerca de 300.000 deslocados por causa do conflito entre as forças armadas e a Frente Moro de Libertação Islâmica.

Junto com a Cruz Vermelha Filipina, o CICV distribui ajuda a 120.000 deslocados nessa região todos os meses. EFE is/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG