Seqüestradores exigem resgate por trabalhadores chineses no Sudão

Cartum, 20 out (EFE).- Os seqüestradores de nove trabalhadores chineses do setor do petróleo, capturados há dois dias no Sudão, exigiram um resgate para sua libertação, informou hoje o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores sudanês, Ali al-Sadeq.

EFE |

Os seqüestradores, que se acredita que pertencem ao grupo rebelde Movimento pela Justiça e a Igualdade (MJI) de Darfur, solicitaram o resgate às autoridades de uma província situada ao sul da região petrolífera de Kurdufán, onde aconteceu o seqüestro.

Sadeq não falou sobre o valor do resgate pedido nem deu mais detalhes a respeito, em coletiva de imprensa realizada hoje em Cartum.

Os trabalhadores foram seqüestrados há dois dias no sul de Kurdufán, ao sudoeste da capital sudanesa, próximo a Darfur, em guerra desde 2003 e onde vários grupos armados tem base, como o MJI.

Os nove reféns são empregados da companhia estatal chinesa de petróleo Sinopec, e as autoridades não descartam que junto a eles também tenham sido capturados dois sudaneses que os acompanhavam.

É o terceiro seqüestro de trabalhadores do setor petroleiro registrado nessa mesma zona em um ano. EFE az/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG