Cairo, 19 nov (EFE).- Os piratas que seqüestraram na segunda-feira o petroleiro saudita Sirius Star exigem um resgate em dinheiro e afirmam que já há negociadores no navio, segundo uma gravação sonora atribuída a um dos seqüestradores e divulgada pela televisão catariana Al Jazira.

"Quando se chegar a um acordo sobre o resgate, se pagará com dinheiro no navio (seqüestrado) e garantiremos a segurança da embarcação que o trouxer", afirmou o suposto seqüestrador, identificado como Farah Abd Yame.

Na breve fita, o suposto pirata diz que "há negociadores a bordo do navio e em terra", mas não detalha o montante exigido para a libertação do cargueiro, atacado no fim de semana passado em águas do Mar Arábico.

Além disso, adverte que contarão o dinheiro com uma máquina que consegue "reconhecer dinheiro falso".

A Vela, empresa proprietária do cargueiro, subsidiária da companhia petrolífera saudita Aramco, informou na terça-feira que os seqüestradores levaram o petroleiro para o porto de Eyl, no nordeste da Somália.

O "Sirius Star" transporta 2 milhões de barris de petróleo e leva a bordo uma tripulação de 25 pessoas, dois de nacionalidade britânica, dois poloneses, um croata, um saudita e 19 filipinos.

Não foi informado quais eram os portos de origem e destino do navio, que foi atacado a mais de 700 quilômetros do litoral da Somália. EFE hh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.